Um mundo sem armas nucleares?

O Prêmio Nobel da Paz deste ano saiu para uma pequena ONG de Genebra.

Apesar dos tratados entre as potências nucleares, existem mais de 15.000 armas atômicas no planeta, a maioria dos Estados Unidos e Rússia. Sete outros países dividem o restante: Grã Bretanha, França, China, Israel, Índia, Paquistão e Coreia do Norte. Apenas uma fração desse arsenal seria o suficiente para acabar com toda a raça humana.

Para dar um fim a isso, em julho de 2017, representantes de estado de 135 países e organizações não governamentais reuniram-se e finalizaram as negociações do Tratado de Proibição das Armas Nucleares na ONU. Foi um passo histórico.

O tratado não irá funcionar de um dia para outro mas irá estabelecer um novo marco legal, estigmatizando as armas nucleares. Espera-se que o tratado exerça pressão sobre as potências nucleares e as nações tuteladas por elas, dentre as quais, ironicamente, o Japão (o único atingido pela bomba atômica) que também votou contra a resolução.

A ICAN (Campanha Internacional para Abolição das Armas Nucleares) recebeu o Prêmio Nobel pelo destacado papel de mobilização para a defesa da causa. Com uma equipe de apenas 4 pessoas, a ONG representa uma coalizão de 468 organizações não governamentais em 101 países, que dá voz a milhões de cidadãos do planeta que discordam das armas nucleares e querem que elas sejam eliminadas.

O prêmio é também um tributo às vítimas e sobreviventes das explosões de Hiroshima e Nagasaki, cujos testemunhos têm sido fundamentais para a causa.

E o Rotary? Será que podemos fazer alguma coisa para participar dessa mobilização global?

Paz e compreensão entre os povos faz parte da nossa missão, e paz e resolução de conflitos é uma das nossas áreas de enfoque. Por isso, na Conferência Presidencial pela Paz do Rotary, em junho deste ano, em Atlanta, anunciou-se a parceria do Rotary com a iniciativa Green Legacy Hiroshima (Legado Verde de Hiroshima). Criada em 2011, a GLH envia sementes de árvores sobreviventes da bomba para o plantio em praças públicas, através de Rotary Clubs que queiram se tornar embaixadores da mensagem de paz e proteção à natureza, e do perigo das armas atômicas e de destruição em massa. Mais de 30 países já plantaram as árvores, exceto o Brasil.

Outra iniciativa é a Mayors for Peace (Prefeitos pela Paz). Criada em 1982 por um prefeito de Hiroshima, a Mayors for Peace trabalha para que cidades do mundo inteiro, através dos seus prefeitos, firmem o compromisso de combater as armas atômicas e lutar pela paz mundial. Mais de 7500 cidades em 162 países já fazem parte do movimento, entre elas Florianópolis e Joinville.

O Rotary Distrito 4651, através da Comissão Distrital da Fundação Rotária e do Governador Distrital, já iniciou tratativas com a Green Legacy Hiroshima para trazer sementes à Santa Catarina, e plantar as árvores nos 75 municípios pertencentes à área geográfica de atuação do Distrito. Para isso, está formando uma parceria com a EPAGRI (Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina), para importar as sementes e produzir as mudas.

Do mesmo modo, o nosso Distrito iniciou tratativas com a Mayors for Peace, para que os Rotary Clubs possam atuar como embaixadores da paz, convidando os prefeitos catarinenses a integrarem o movimento global pela paz e erradicação das armas atômicas.

Há quem ache a iniciativa de acabar com as armas atômicas quixotesca, pois nenhuma potência nuclear irá abrir mão delas com facilidade. Todavia, o desarmamento não é um sonho, é uma necessidade urgente. A escalada do conflito entre Coreia do Norte e Estados Unidos pode trazer consequências catastróficas para o planeta. Se existe um momento em que as nações do mundo deveriam declarar sua oposição às armas atômicas, esse momento é agora.

Wan Yu Chih
Presidente da Comissão Distrital da Fundação Rotária 2016-19

Mais informações:

http://www.icanw.org

https://unitar.org/greenlegacyhiroshima

http://www.mayorsforpeace.org

Anúncios

Uma caixa de morangos. Nada menos que isso interessa.

O sinal estava fechado. O vidro do carro também. O Sol queimava lá fora. O ar-condicionado esfriava lá dentro. O vendedor ambulante com suas caixas de morangos vermelhos, grandes e bonitos, se aproximou pelo lado direito do carro, do meu lado, onde eu era passageiro naquele dia, no banco da frente.

– R$ 5 reais, Doutor, R$ 5 reais a caixa de morangos… Dá uma olhada, não tem nada mais bonito… Leva Doutor, o Senhor não vai se arrepender. É o melhor presente que você poderia dar a sua esposa hoje… Não vai querer? Eu faço duas caixas por R$ 5 reais. Leva Doutor, cada caixa tem 30 morangos selecionados… Nem mesmo naquele shopping de grã-finos ali o Senhor vai encontrar esses morangos. Leva Doutor, abaixa o vidro, leva o morango.

O Sinal abriu. O trânsito era intenso naquela avenida movimentada. O nosso carro era o quinto na fila da esquerda, a faixa mais rápida. Havia ainda tempo antes de começarmos a andar. Eu abaixei o vidro para comprar.

– Que legal! O Senhor não vai se arrepender.

Atrás de nós os carros começavam a buzinar exigindo que seguíssemos em frente. Dentro do carro, eu me contorcia para encontrar em algum lugar escondido na mala do meu notebook, no banco de atrás do carro, R$ 5 reais para comprar os morangos.

Enquanto isso, o meu amigo que dirigia o carro gritou para o vendedor,

– Amigo, vem atrás da gente, vou parar ali na frente.

O meu amigo motorista começou a andar. A 5 km por hora, 10 km por hora, 15 km por hora. O trânsito começou a fluir. O próximo farol devia estar a uns quinhentos metros a frente. Eu encontrei R$ 10 reais. O carro estava a 40 km por hora.

O Vendedor de Morangos estava agora no meio fio, do lado do motorista, correndo atrás de nós como um louco, naquele calor de verão escaldante de mais um dia maravilhoso na cidade do Rio de Janeiro. Os poucos metros viraram muitos metros, muitos metros viraram uma centena, duas centenas de metros.

Quando olhei aquele vendedor correndo atrás da gente, por R$ 5 reais, com energia e paixão, não pude conter as lágrimas, nem eu, nem meu amigo, como não posso conter agora, ou sempre que me lembro desse momento mágico, quando me recordo daquele rapaz, aparentemente sem educação, aparentemente sem boa aparência, aparentemente sem família, aparentemente sem trabalho, aparentemente sem esperança, aparentemente sem paixão, encontrar em uma caixa de morango e em nós, uma vontade incrível de fazer a coisa certa. A paixão pela vida.

Algumas dezenas de metros a frente, o meu amigo conseguiu finalmente encontrar uma maneira de estacionar o carro sem atrapalhar o trânsito naquela avenida expressa.

Segundos depois, chegava o Vendedor. Nós olhamos nos olhos dele, emocionados, ele olhou nos nossos olhos, sorridente. Eu dei a ele R$ 10 reais. Ele ia me dar o troco quando dissemos a ele,

– Fique com tudo! Você merece. Obrigado pela aula. Você ensinou alguma coisa para nós hoje. Para nós e para todos aqueles que tiveram a oportunidade de vê-lo trabalhar hoje… Por favor continue assim. Seja assim. Essa cidade precisa de você.

Paixão não é exclusividade de ninguém, você vê ela em empresários e em vendedores ambulantes, em iraquianos e americanos. Complacência, o oposto de Paixão, também não é exclusividade de ninguém. Ser apaixonado pelo trabalho que faz é muito pouco. Seres Humanos apaixonados de verdade são apaixonados por tudo que tem, por tudo que fazem, por todos que conhecem e por todos que encontram.

Uma caixa de morangos. Nada menos que isso interessa.

Quando você sentir que algo falta para você, dê o que você tem. Do fundo do coração e do fundo da alma, doe o que você sabe, compartilhe o que você sente. Ser um ser apaixonado é um comprometimento seu com o universo. Fazer o que se ama é mais importante do que ser feliz.

Este relato nos convida a refletir sobre o compromisso que assumimos ao ingressar no Rotary: será que doamos nosso tempo e habilidades profissionais, para trazermos alívio às questões humanitárias mais prementes, com Complacência ou Paixão?

Crônica escrita em 2005, pelo consultor de empresas Ricardo Jordão Magalhães do BizRevolution.

Qualificação de Clubes para 2017-18

logo d4651

ROTARY INTERNATIONAL DISTRITO 4651
COMISSÃO DISTRITAL DA FUNDAÇÃO ROTARY

É com satisfação que comunicamos a relação dos Rotary Clubs, que tendo participado do Seminário da Fundação Rotária e de Gerenciamento de Subsídios do Distrito 4651, realizado em Palhoça no dia 23/09/2017, foram qualificados a participar dos Programas de Subsídios Distrital e Global, e do processo recomendação de candidatos às Bolsas Rotary pela Paz e Bolsas de Estudo para Profissionais da Área Hídrica e de Saneamento da Fundação Rotária no ano Rotary 2017-18.

CLUBE REPRESENTANTE
Rotary Club de Bal. Camboriú-Norte Eliane M.L.F. Menino, Secretária de Clube; Jaime F. Menino, Comissão da Fundação Rotária.
Rotary Club de Bal. Camboriú-Praia do Atlântico Juvelina Inês R. Zanella, Comissão de Eventos; Adria Brandes, Comissão da Fundação Rotária.
Rotary Club de Bombinhas Aurora Doring, Comissão da Fundação Rotária.
Rotary Club de Brusque Maria Aparecida Frainer, Conselheira de Intercâmbio.
Rotary Club de Florianópolis Dorival Schultz, Presidente da Subcomissão Distrital de Bolsas; Eder Vieira Couto, Presidente da Subcomissão Distrital de Subsídios; Augusto César Zeferino, Presidente de Clube.
Rotary Club de Florianópolis-Amizade Zoraide Lemos Gentil, Comissão de Administração; Marília S. de Sá, Comissão da Fundação Rotária; Zilá dos Santos Locks, Comissão da Fundação Rotária.
Rotary Club de Florianópolis-Atlântico José Parola Júnior, Vice-Presidente de clube; Santa Lunardeli, Comissão de Administração.
Rotary Club de Florianópolis-Estreito Roberto Ferreira Morgado, Presidente de Clube.
Rotary Club de Florianópolis-Jurerê Francisco Haas, Secretário de Clube; Moacir J. Jungblut, Presidente de Clube; Clenia E. Jungblut, Associada.
Rotary Club de Florianópolis-Leste Mário Edson Serafim da Luz, Assistente de Governador.
Rotary Club de Florianópolis-Sul da Ilha Aladir Vitória Bonatto, Presidente de Clube.
Rotary Club de Florianópolis-Trindade Guio Paulo Simm Jr, Presidente de Comissão da Fundação Rotária.
Rotary Club de Itajaí-Norte João Paulo Westfal Pires, Oficial de Intercâmbio.
Rotary Club de Itajaí-Porta do Vale Mauri M. Cabral, Comissão de Administração; Alcides de Souza, Ex-Presidente de Clube; Rui Garcia dos Santos, Presidente de Clube.
Rotary Club de Itapema Valmir Knop, Presidente; Mounir Zeitouni, Comissão da Fundação Rotária.
Rotary Club de Laguna Fábio de Andrade, Oficial de Intercâmbio; Nilson Algarves, Presidente de Clube; Manoel A. Cardoso, Associado; Mauri Wisintainer, Governador Assistente; Valmicio O. Aguiar, Presidente de Comissão da Fundação Rotária; Waldy Sant’anna Jr, Secretário.
Rotary Club de Laguna-República Juliana Angela Algarves, Vice-Presidente; Cleusa do Amaral, Comissão da Fundação Rotária; Rogéria O. Carpes, Associada.
Rotary Club de Lauro Muller Flávio Machado Peixoto, Comissão da Fundação Rotária.
Rotary Club de Palhoça Gilberto Giacomini, Presidente de Comissão do DQA; Volnei Antonio Pereira, Comissão da Fundação Rotária.
Rotary Club de Palhoça-Pedra Branca Carlos Alberto Ceccon, Comissão de Fundação Rotária.
Rotary Club de Santo Amaro da Imperatriz Almir Hercílio da Silva, Presidente de Comissão da Fundação Rotária.
Rotary Club de São José José Nilton Everling, Presidente de Clube; Marli T. Reiner Everling, Associada.
Rotary Club de São José-Kobrasol Jacy Carlos Gubert, Vice-Presidente de Clube.
Rotary Club de Tubarão Nelson S. Araújo, Protocolo.
Rotary Club de Tubarão-Cidade Azul Haroldo Duarte, Protocolo.
Rotary Club de Tubarão-Luz Natália W. Campos, Comissão da Fundação Rotária, Solange Lunkes, Protocolo.
Rotary Club de Tubarão-Sul Michel Zanella, Secretário
Rotary Club de Turvo Cláudio Fishborn, Associado.

Itajaí, 26 de setembro de 2017.

José Alberto Noldin
Governador Distrital 2017-18

Wan Yu Chih
Presidente da Comissão Distrital da Fundação Rotária 2016-19

Setembro: mês da educação básica no Rotary

Setembro é o mês dedicado à Educação Básica e Alfabetização pelo Rotary, por isso reunimos os artigos publicados sobre o tema, neste site, desde que ele foi criado. (Clique nos links para ler o artigo.)

Negra, pobre e Silva: o primeiro ouro da Rio 2016 é a cara do Brasil.

Negra, pobre e Silva: o primeiro ouro da Rio 2016 é a cara do Brasil. É dessa forma que o jornal espanhol El País noticiou a conquista da primeira medalha de ouro do Brasil, nas Olimpíadas Rio 2016, pela judoca Rafaela Silva.

Moradora da favela Cidade de Deus, Rafaela deve o seu ingresso no judô a um projeto social na Rocinha, de onde ganhou o primeiro quimono. Seus professores tiravam dinheiro do próprio bolso para que ela pudesse viajar para competir.

“Só Deus sabe o quanto sofri e o que tive de fazer para chegar aqui.”

Devido à escassez de bons treinadores e academias, perdemos de longe para outros países no placar olímpico. Devido à escassez de bons professores e escolas, o mesmo ocorre com a produção nacional de cientistas e profissionais qualificados, de nível superior. E os poucos campeões que produzimos acabam indo para o exterior, atraídos por melhores condições de vida, e de carreira.

Na educação básica, o Brasil está entre os piores do mundo. O PISA, Programa Internacional de Avaliação de Alunos, é uma espécie de Olimpíadas da educação básica, que a cada três anos examina estudantes de 15 anos de idade em leitura, matemática e ciências. Dos 70 países avaliados em 2015, nosso país ficou em 63º lugar na classificação média geral.

No Brasil, temos o IDEB, Índice de Desenvolvimento da Educação Básica. Em 2015, o índice do ensino médio das escolas brasileiras foi 3,7, e dos anos finais do ensino fundamental 4,5. Apesar do IDEB das escolas privadas ser superior ao das escolas públicas, ambas possuem índices baixos se considerarmos que a nota vai de zero a dez. Além disso, 82% dos alunos estão na rede pública, e o desempenho do ensino privado acaba não tendo peso quando se trata de melhorar o país como um todo.

O alunos são carentes e os professores despreparados. Podemos deixar tudo por conta do Governo? Como promover a mudança? Por onde começar?

Segundo Mozart Neves Ramos, ex-reitor da Universidade Federal de Pernambuco e diretor do Instituto Ayrton Senna, um dos parceiros do Movimento Santa Catarina pela Educação,

“O Brasil tem escolas do século IX, professores do século XX, e alunos do século XXI.”

Investir na escola é prioritário. E se deixássemos tudo por conta do Governo, não teríamos a Rafaela Silva, assim como outras estrelas que aguardam sua vez, esperando por uma chance de brilhar e ajudar a melhorar o Brasil.

Por isso, em parceria com a FIESC e o SENAI/SC, rotarianos de dezenove clubes do Distrito 4651 estão desenvolvendo um projeto para melhorar a educação básica que beneficiará mais de 10.000 alunos, através da instalação de laboratórios de informática em 11 escolas públicas no estado de Santa Catarina. O projeto contará com recursos da Fundação Rotária.

Educação básica e alfabetização é uma das seis áreas de enfoque da Fundação Rotária. Somente no ano passado, a Fundação investiu US$ 10,3 milhões em 173 projetos na área da educação básica e alfabetização.

De acordo com um velho provérbio chinês, o melhor momento para se plantar uma árvore foi a vinte anos atrás. O segundo melhor momento é agora.

WanYu Chih
Presidente da Comissão Distrital da Fundação Rotária 2016-2019
Associado ao Rotary Club de Florianópolis

Artigo originalmente publicado neste site em 10/08/2016, editado e atualizado com os dados do PISA 2015, e publicado no Informativo mensal de setembro do Rotary Distrito 4651.

Edital de Apoio a Projetos de Subsídio Global 2017-18

ROTARY INTERNATIONAL DISTRITO 4651
COMISSÃO DISTRITAL DA FUNDAÇÃO ROTÁRIA
SUBCOMISSÃO DISTRITAL DE SUBSÍDIOS

É com satisfação que comunicamos aos Rotary Clubs do Distrito 4651 que estão abertas as inscrições para apoio financeiro do distrito aos Projetos de Subsídio Global com recursos do FDUC – Fundo Distrital de Utilização Controlada. Subsídios Globais são recursos que patrocinam projetos alinhados à Missão da Fundação Rotária de promoção da boa vontade, paz e compreensão mundial por meio de apoio a iniciativas de melhoria da saúde, da educação e do combate à pobreza.

1) Valor total a ser distribuído

O valor total disponível para o Ano Rotary 2017-18 é de US$ 80.000,00, recurso esse proveniente do FDUC – Fundo Distrital de Utilização Controlada, formado pelas contribuições dos clubes ao Fundo Anual de Programas que retornam ao distrito após 3 anos pelo Sistema SHARE.

2) Critério de distribuição dos recursos

Conforme previsto no Plano Trienal 2016-19 da Fundação Rotária do Distrito 4651, aprovado na Assembleia Distrital em 2016, reconheceremos os projetos de maior impacto, propostos por clubes que contribuem efetivamente à Fundação Rotária. Os projetos apresentados serão pontuados, e o recurso disponível no ano será distribuído proporcionalmente à contribuição do clube à Fundação Rotária nos últimos 3 anos, e ao impacto projeto.

Projetos já submetidos e aguardando aprovação da Fundação Rotária terão o recurso do distrito reservado até a aprovação ou recusa pela Fundação. Nos demais casos, o recurso destinado ao projeto permanecerá reservado até a publicação do resultado da próxima edição do edital de apoio a projetos de subsídio global do distrito. Os projetos não submetidos à aprovação da Fundação Rotária, ou modificados para reapresentação após a sua recusa, poderão solicitar apoio do distrito na próxima edição do edital.

Todos os projetos de subsídio global, sejam eles projetos com parceiro internacional já submetidos à aprovação da Fundação Rotária, projetos em busca de parceiro internacional ou projetos em fase de elaboração, deverão ser apresentados, ou reapresentados, através do presente Edital para poderem contar com o recurso do distrito.

A verba disponível será distribuída por projeto proporcionalmente à sua pontuação (P), a ser apurada da seguinte forma:

Nota A = média aritmética da contribuição do clube à Fundação Rotária nos 3 últimos anos (em dólares). São consideradas as contribuições ao Fundo Anual de Programas e ao Fundo Pólio Plus.

Nota B = pontuação atribuída ao projeto, por consenso entre os membros da Comissão Julgadora, sendo: 1,2 para projeto de alto impacto; 1,0 para projeto de médio impacto; 0,8 para projeto de baixo impacto.

Nota C = pontuação atribuída ao projeto, por consenso entre os membros da Comissão Julgadora, sendo: 1,2 para projeto em busca de parceiro estrangeiro; 1,0 para projeto em fase avançada de elaboração; 0,8 para projeto em fase inicial de elaboração.

Pontuação P do clube = (Nota A x Nota B x Nota C) / somatória da Nota A x Nota B x Nota C de todos os clubes participantes, que será a participação do clube na divisão do recurso disponível para projetos de subsídio global do ano.

Exemplo:

Três clubes (quantidade ilustrativa para efeito de exemplo) estão propondo projetos de subsídio global. O clube 1 tem a média de US$ 9.000,00 de contribuição nos 3 últimos anos, o clube 2, US$ 5.000,00, e o clube 3, US$ 1.000,00. A nota do projeto do clube 1 é 1,0, do clube 2 é 1,2, do clube 3 é 1,0.

A pontuação P de cada clube será:

P1 = (9.000,00 x 1,0) / [ (9.000,00×1,0) + (5.000,00×1,2) + (1.000,00×1,0) ] = 12.000/15.000 = 60,0%
P2 = (5.000,00 x 1,2) / [ (9.000,00×1,0) + (5.000,00×1,2) + (1.000,00×1,0) ] = 6.666,66/15.000 = 33,3%
P3 = (1.000,00 x 1,0) / [ (9.000,00×1,0) + (5.000,00×1,2) + (1.000,00×1,0) ] = 1.333,33/15.000 = 6,66%

O clube 1 irá ter 60,0% do recurso total reservado, o clube 2, 33,3% e o clube 3, 6,66%.

O recurso destinado a cada projeto será limitado a 25% do valor total do projeto.

No caso de projeto multiclubes, com a participação de dois ou mais clubes em um mesmo projeto, aplica-se o mesmo procedimento acima para cada clube participante.

3) Condições de participação

Para qualificar-se ao edital serão observadas as seguintes condições:

a) O clube deverá assinar o Memorando de Entendimento de Qualificação de Clube para a Fundação Rotária (ANEXO I).
b) O clube deverá estar qualificado pelo Distrito 4651 no Ano Rotary 2017-2018, participando do Seminário da Fundação Rotária/Seminário Distrital de Gerenciamento de Subsídios da Fundação Rotária, dia 23/09/2017.
c) O clube deverá estar em dia com suas obrigações para com o Rotary International (per capitas do RI e do Distrito 4651) e a Fundação Rotária (obrigações relativas a projetos anteriores).
d) A documentação apresentada deverá estar completa e corretamente preenchida.
e) O projeto deverá enquadrar-se em pelo menos uma das áreas de enfoques da Fundação Rotária.
f) Os itens devem ser financiáveis de acordo com os Termos e Condições de Subsídios Distritais e Globais da Fundação Rotária (ANEXO I).
g) Rotaract Clubs, Interact Clubs e Casas da Amizade (Associação dos Cônjuges de Rotarianos) poderão participar dos projetos de subsídios distritais, desde que, sob a responsabilidade de um Rotary Club patrocinador, devendo o Presidente do Rotary Club assinar o projeto, atestando a responsabilidade do Rotary Club para com o mesmo. Contudo, por serem consideradas entidades associadas ao Rotary elas não podem ser beneficiárias de recursos de subsídios da Fundação Rotária.
h) O clube deverá apresentar orçamento de todos os itens do projeto, e caso o item orçado tenha valor igual ou superior a US$ 1.000,00 o mesmo deverá ser apresentado em papel timbrado do fornecedor.
i) O clube poderá participar com mais de um projeto de subsídio global por ano rotário.
j) Após a realização do projeto, o clube deverá apresentar Relatório da Implementação do Projeto, anexando todos os comprovantes de despesas realizadas (ANEXO IV).

4) Documentos necessários

Documentos necessários para o envio dos projetos:

a) Carta de encaminhamento do projeto assinada pelo presidente e tesoureiro do clube.
b) Memorando de Entendimento de Qualificação de Clube para a Fundação Rotária (ANEXO I).
c) Formulário de Pedido de Subsídio Global 2017-18 (ANEXO II).
d) Termo de Compromisso de aportar os recursos necessários para a complementação do valor total do projeto (ANEXO IV).

Os pedidos deverão ser enviados por email ou correio à Subcomissão Distrital de Subsídios. Em ambos os casos, solicitar confirmação de entrega.

Presidente da Subcomissão Distrital de Subsídios
Eder Vieira Couto
Rua Felipe Schmidt, 390 Sala 702
Florianópolis, Santa Catarina CEP 88010-001

Email: evcouto@costaricaengenharia.com.br
Fone: 48 99982-2483 (Tim)

5) Comissão julgadora

A Comissão Julgadora será formada pelo Governador Distrital, Presidente da Comissão Distrital da Fundação Rotária e Presidente da Subcomissão Distrital de Subsídios. O resultado do edital será divulgado juntamente com uma breve descrição dos projetos aprovados.

6) Esclarecimento de dúvidas

Em caso de dúvidas, além do Presidente da Subcomissão, poderão ser consultados o Presidente da Comissão Distrital da Fundação Rotária ou o Governador Distrital.

7) Cronograma

Etapa Data Responsável
Lançamento do Edital 01/09/2017 Comissão Distrital da FR
Data limite para envio das propostas  31/10/2017 Rotary Club
Data limite para julgamento 10/11/2017 Comissão Julgadora
Divulgação do resultado 30/11/2017 Subcomissão Distrital de Subsídios

8) Anexos

Os anexos abaixo encontram-se publicados no site da Fundação Rotária do Distrito 4651.

ANEXO I: Memorando de Entendimento de Qualificação de Clube para a Fundação Rotária
ANEXO II: Termos e Condições de Subsídios Distritais e Globais da Fundação Rotária
ANEXO III: Formulário de Pedido de Subsídio Global
ANEXO IV: Termo de Compromisso de aportar os recursos necessários para a complementação do valor total do projeto
ANEXO V: Relatório da Implementação do Projeto de Subsídio Global

https://fundacaorotary4651.wordpress.com/

https://fundacaorotary4651.wordpress.com/manuais-e-formularios/

Itajaí, 1 de setembro de 2017.

(a.) José Alberto Noldin
Governador Distrital 2017-18

(a.) Wan Yu Chih
Presidente da Comissão Distrital da Fundação Rotária 2016-19

(a.) Eder Vieira Couto
Presidente da Subcomissão Distrital de Subsídios 2017-18

NOTA DE ESCLARECIMENTO DE 27/09/2017:

Por ocasião da sessão de esclarecimentos no Seminário de Gerenciamento de Subsídios da Fundação Rotária, ocorrido em 23/09/2017, identificou-se um erro no exemplo do edital, que não considerou a Nota C. Visando um melhor entendimento, publicamos a seguinte nota.

Onde se lê “Nota B = pontuação atribuída ao projeto”, entenda-se “Nota B = pontuação atribuída ao impacto do projeto”.

Onde se lê “Nota C = pontuação atribuída ao projeto”, entenda-se “Nota C = pontuação atribuída ao estágio atual do projeto”.

No exemplo, onde se lê “A nota do projeto do clube 1 é 1,0, do clube 2 é 1,2, do clube 3 é 1,0.”, deve-se acrescentar “A nota C do projeto do clube 1 é 0,8, do clube 2 é 1,0, do clube 3 é 1,2.

Assim o exemplo correto com a Nota C passa a ser:

P1 = (9.000,00×1,0x0,8) / [ (9.000,00×1,0×0,8) + (5.000,00×1,2×1,0) + (1.000,00×1,0×1,2) ] = 7.200/14.400 = 50,0%
P2 = (5.000,00×1,2×1,0) / [ (9.000,00×1,0×0,8) + (5.000,00×1,2×1,0) + (1.000,00×1,0×1,2) ] = 6.000/14.400 = 41,6%
P3 = (1.000,00×1,0x1,2) / [ (9.000,00×1,0×0,8) + (5.000,00×1,2×1,0) + (1.000,00×1,0×1,2) ] = 1.200/14.400 = 8,3%

O clube 1 irá ter 50,0% do recurso total, o clube 2, 41,6% e o clube 3, 8,3%.

Edital de Subsídio Distrital 2017-18

DG1844608
ROTARY INTERNATIONAL DISTRITO 4651
COMISSÃO DISTRITAL DA FUNDAÇÃO ROTÁRIA
SUBCOMISSÃO DISTRITAL DE SUBSÍDIOS

É com satisfação que comunicamos aos Rotary Clubs do Distrito 4651 que estão abertas as inscrições para Projetos de Subsídio Distrital com recursos do FDUC – Fundo Distrital de Utilização Controlada. Subsídios Distritais são recursos que patrocinam projetos alinhados à Missão da Fundação Rotária de promoção da boa vontade, paz e compreensão mundial por meio de apoio a iniciativas de melhoria da saúde, da educação e do combate à pobreza.

1) Valor total a ser distribuído

O valor total disponível para o Ano Rotary 2017-18 é de US$ 5.430,00, correspondente a 50% (cinquenta por cento) das contribuições dos clubes ao Fundo Anual de Programas durante o Ano Rotary 2014-15, que retornam ao distrito após 3 anos pelo Sistema SHARE ao FDUC – Fundo Distrital de Utilização Controlada.

2) Critério de distribuição dos recursos

Conforme previsto no Plano Trienal 2016-19 da Fundação Rotária do Distrito 4651, aprovado na Assembleia Distrital em 2016, passaremos a reconhecer os projetos de maior impacto, propostos por clubes que contribuem efetivamente à Fundação Rotária.  Os projetos apresentados serão pontuados, e o recurso disponível no ano será distribuído proporcionalmente ao atingimento das metas do RI de contribuição do clube à Fundação Rotária nos últimos 3 anos, e ao impacto do projeto.

A verba disponível será distribuída proporcionalmente à pontuação (P) de cada clube, a ser apurada da seguinte forma:

Nota A = média aritmética do percentual do clube de atingimento da meta do RI de contribuição à Fundação Rotária de cada ano, nos 3 últimos anos (0 a 100 pontos). São consideradas as contribuições ao Fundo Anual de Programas e ao Fundo Pólio Plus.

Nota B = pontuação atribuída por consenso entre os membros da Comissão Julgadora, sendo: 1,2 para projeto de alto impacto; 1,0 para projeto de médio impacto; 0,8 para projeto de baixo impacto.

Pontuação P do clube = (Nota A x Nota B) / somatória da Nota A x Nota B de todos os clubes participantes, que será a participação do clube na divisão do recurso disponível para projetos de subsídio distrital do ano.

Exemplo:

Três clubes (quantidade ilustrativa para efeito de exemplo) estão propondo projetos de subsídio distrital. O clube 1 tem média de 150% de contribuição nos 3 últimos anos, o clube 2, 100%, e o clube 3, 50%. A nota do projeto do clube 1 é 1,0, do clube 2 é 1,2, do clube 3 é 1,0.

A pontuação P de cada clube será:

P1 = (150 x 1,0) / [ (150×1,0) + (100×1,2) + (50×1,0) ] = 150/320 = 46,8%
P2 = (100 x 1,2) / [ (150×1,0) + (100×1,2) + (50×1,0) ] = 120/320 = 37,5%
P3 = (50 x 1,0) / [ (150×1,0) + (100×1,2) + (50×1,0) ] = 50/320 = 15,6%

O clube 1 irá receber US$ 3.281,25, o clube 2, US$ 2.625,00 e o clube 3, US$ 1.093,75.

No caso de projeto multiclubes, com a participação de dois ou mais clubes em um mesmo projeto, aplica-se também o mesmo critério acima para cada clube participante.

3) Condições de participação

Para qualificar-se ao edital serão observadas as seguintes condições:
a) O clube deverá assinar o Memorando de Entendimento de Qualificação de Clube para a Fundação Rotária (ANEXO I).
b) O clube deverá estar qualificado pelo Distrito 4651 no Ano Rotary 2017-2018, participando do Seminário da Fundação Rotária/Seminário Distrital de Gerenciamento de Subsídios da Fundação Rotária, dia 23/09/2017.
c) O clube deverá estar em dia com suas obrigações para com o Rotary International (per capitas do RI e do Distrito 4651) e a Fundação Rotária (obrigações relativas a projetos anteriores).
d) A documentação apresentada deverá estar completa e corretamente preenchida.
e) O projeto deverá enquadrar-se em pelo menos uma das áreas de enfoques da Fundação Rotária.
f) Os itens devem ser financiáveis de acordo com os Termos e Condições de Subsídios Distritais e Globais da Fundação Rotária (ANEXO II), sendo permitido o fornecimento de forros e divisórias em projetos de subsídio distrital (não em projetos de subsídio global).
g) Rotaract Clubs, Interact Clubs e Casas da Amizade (Associação dos Cônjuges de Rotarianos) poderão participar da realização de projetos de subsídios distritais, desde que, sob a responsabilidade de um Rotary Club patrocinador, devendo o Presidente do Rotary Club assinar o projeto, atestando a responsabilidade do Rotary Club para com o mesmo. Contudo, por serem consideradas entidades associadas ao Rotary elas não podem ser beneficiárias de recursos de subsídios da Fundação Rotária.
h) O clube deverá apresentar orçamento de todos os itens do projeto, e caso o item orçado tenha valor igual ou superior a R$ 500,00 o mesmo deverá ser apresentado em papel timbrado do fornecedor.
i) O clube poderá participar com apenas um projeto de subsídio distrital por ano rotário.
j) Após a realização do projeto, o clube deverá apresentar Relatório de Execução do Projeto, anexando todos os comprovantes de despesas realizadas (ANEXO IV).
k) É permitido ao clube ajustar o projeto original em termos quantitativos, de modo a adequá-lo ao eventual recebimento de subsídio em valor diferente ao solicitado, sem contudo alterar o seu escopo.
l) É permitido ao clube desistir do projeto de subsídio devendo para isso comunicar formalmente o Presidente da Subcomissão Distrital de Subsídios, o quanto antes com vistas a não prejudicar os demais participantes.
m) Em ocorrendo a desistência de algum clube, é permitido à Comissão Distrital da Fundação Rotária, à seu critério, redistribuir o recurso disponível entre os demais participantes, destiná-lo a um novo projeto, ou devolvê-lo à Fundação Rotária.
n) Os subsídios serão depositados na conta do clube em Reais com base na taxa de câmbio em vigor no ato da liberação do recurso pela Fundação Rotária.
o) É permitido ao distrito, através do seu Governador, enviar pedido de até 20% do recurso disponível para subsídio distrital, para contingências como eventuais inundações ou vendavais que possam acontecer no ano, ou outra atividade que atenda à missão da Fundação Rotária. Se utilizado, será necessário formalizar a utilização do recurso como um projeto de subsídio distrital e prestar contas ao final.

4) Documentos necessários

Documentos necessários para o envio dos projetos:

a) Carta de encaminhamento do projeto assinada pelo presidente e tesoureiro do clube.
b) Memorando de Entendimento de Qualificação de Clube para a Fundação Rotária (ANEXO I).
c) Formulário de Pedido de Subsídio Distrital 2017-18 (ANEXO III).

Os pedidos deverão ser enviados por email ou correio à Subcomissão Distrital de Subsídios. Em ambos os casos, solicitar confirmação de entrega.

Presidente da Subcomissão Distrital de Subsídios

Eder Vieira Couto
Rua Felipe Schmidt, 390 Sala 702
Florianópolis, Santa Catarina CEP 88010-001

Email: evcouto@costaricaengenharia.com.br
Fone: 48 99982-2483 (Tim)

5) Cronograma

Etapa Data Responsável
Lançamento do Edital 01/09/2017 Comissão Distrital da FR
Data limite para envio das propostas  31/10/2017 Rotary Club
Data limite para julgamento 15/11/2017 Comissão Julgadora
Divulgação do resultado 30/11/2017 Subcomissão Distrital de Subsídios
Liberação dos recursos 31/12/2017 Tesoureiro Distrital
Entrega do Relatório Final 15/04/2018 Rotary Club

6) Esclarecimento de dúvidas

Em caso de dúvidas, além do Presidente da Subcomissão, poderão ser consultados o Presidente da Comissão Distrital da Fundação Rotária ou o Governador Distrital.

7) Comissão julgadora

A Comissão Julgadora será formada pelo Governador Distrital, Presidente da Comissão Distrital da Fundação Rotária e Presidente da Subcomissão Distrital de Subsídios. O resultado do edital será divulgado juntamente com uma breve descrição dos projetos aprovados.

8) Anexos

Os anexos abaixo encontram-se disponíveis no site da Fundação Rotária do Distrito 4651.

ANEXO I:   Memorando de Entendimento de Qualificação de Clube para a Fundação Rotária
ANEXO II:  Termos e Condições de Subsídios Distritais e Globais da Fundação Rotária
ANEXO III: Formulário de Pedido de Subsídio Distrital
ANEXO IV: Relatório de Execução do Projeto de Subsídio Distrital

https://fundacaorotary4651.wordpress.com/
https://fundacaorotary4651.wordpress.com/manuais-e-formularios/

Itajaí, 1 de setembro de 2017.

(a.) José Alberto Noldin
Governador Distrital 2017-18

(a.) Wan Yu Chih
Presidente da Comissão Distrital da Fundação Rotária 2016-19

(a.) Eder Vieira Couto
Presidente da Subcomissão Distrital de Subsídios 2017-18